Suspensão em Geral

Mais uma vez o estado precário de nossas estradas é o vilão do desgaste prematuro dos componentes da suspensão. Pois é ela que absorve as tensões, forças e impactos gerados por buracos e demais imperfeições e avarias das estradas, minimizando a transmissão dos efeitos das irregularidade da pista de rodagem para os passageiros do carro.


É de extrema importância fazer uma revisão preventiva nos componentes a cada 10.000 km. Em geral a suspensão tem em comum componentes como molas, amortecedores, bandejas, buchas, braços, pivôs, terminais e batentes. Componentes que são prejudicados em sua vida útil devido à exposição a características muito mais severas, encontradas em nossas vias de rodagem, que as de projetos padronizados, embora estes já sejam adaptados para as condições brasileiras.


Devido as condições de nossas estradas, agravadas pelas características esportivas de condução dos veículos, o período de substituição dos componentes fica indeterminado, obrigando a revisões periódicas para verificação da necessidade de substituição dos componentes, pois quando os componentes começam a dar sinais de quebra significa que já está no fim de sua vida útil, o que pode colocar em risco a segurança do veículo.


É importante ressaltar que ao trocar molas e amortecedores, nunca trocar um componente isoladamente. Isto porque os componentes vão perdendo a ação com o tempo, a substituição de um só componente causa o desequilíbrio do veículo. Deve-se trocar sempre o par de componentes.


Atenção: É comum o motorista ir se acostumando com as condições inadequadas e irregulares do veiculo. Ruídos estranhos, pneus balançando, pneus cantando, significam que é imprescindível parar o veiculo para uma inspeção e revisão periódicas.


Para um perfeito alinhamento é necessário que todos os componentes da suspensão estejam em bom estado, do contrario impossibilitam a execução do alinhamento. Terminais de direção com folga causam desgaste irregular dos pneus, comportamento instável do veículo e folga na direção; além de não permitir alinhamento.


Pivôs danificados causam impossibilidade de alinhamento, roda bamba ou solta, ruído na suspensão e desgaste irregular do pneu.
Buchas da suspensão causam impossibilidade de alinhamento, ruídos e comportamento instável do veículo. E assim por diante, somente uma inspeção criteriosa determina o que está avariado no sistema de suspensão para substituição ou mesmo para reapertos, possibilitando a execução do serviço de alinhamento.


Tão perigoso e arriscado quanto uma falta de freio pode ser um pivô da articulação da suspensão ou terminal de direção com folga. Caso ele se solte, provavelmente, você perderá o controle do carro.


Folgas das buchas de balanças e braços de articulação devem ser verificadas constantemente, pois desalinham a geometria das rodas, causando desgaste excessivo dos pneus.
Alinhamento das rodas devem ser verificados com freqüência, pois uma simples subida num meio fio ou um buraco podem desalinhar a suspensão.

Folgas nas buchas internas da caixa de direção produzem ruídos e baques semelhantes às folgas na suspensão e tão logo sejam notadas, devem ser corrigidas.


Vibrações e direção "puxando" indicam a necessidade de alinhamento e/ou balanceamento das rodas.
Observe o desgaste dos pneus : se irregular mande efetuar uma checagem no sistema de suspensão.


Rangidos ao efetuar manobras ou direção "dura" normalmente indicam que os apoios de suspensão ou escapamentos das molas estejam ruins.
Quando qualquer serviço de suspensão é feito em seu veiculo torna - se obrigatório o alinhamento do veiculo.